Campeonato Nacional de Trial 2013

icone
 
icone
icone
Fotos Vídeos Lista de Inscritos

Luis Jorge vence em Vimioso

O coração do Nordeste Transmontano esteve ao rubro, com a presença do Campeonato Nacional de Trial 4x4 na Vila de Vimioso, para a realização da quarta jornada, da responsabilidade organizativa do Moto Clube Furões TT. Perante uma excelente moldura humana, homens e máquinas lutaram contra o cronómetro e as altas temperaturas que se fizeram sentir em pleno planalto mirandês. Num cenário envolvido por um dos mais belos recursos naturais de Portugal, trinta e cinco equipas proporcionarem um notável espetáculo de trial, com a incerteza quanto aos vencedores a permanecer até ao baixar da bandeira de xadrez. Ao vencer pela primeira vez esta temporada, mesmo em circunstancias mecânicas menos favoráveis, a «Hortícolas Team» deu um passo de gigante rumo à renovação do titulo.

As hostilidades tiveram arranque no centro da Vila de Vimioso ao princípio da tarde de sábado com as verificações técnicas e documentais, seguindo-se o briefing no auditório da Casa da Cultura e um cocktail de boas vindas. Na manhã de domingo, já com toda a caravana na "Pista do Furões" deu-se início à competição com a realização do prólogo – sendo validado o melhor tempo das primeiras três voltas, com a duração de duas horas, para definir a formação da grelha de partida para as cinco categorias em competição. As adversidades para algumas equipas começaram ainda pela manhã. O campeão nacional, recolhia às boxes com o turbo do Suzuki Samurai partido; enquanto a Navara da «Preparações Badinho» ficava sem uma roda e a manga-deixo partida. A rivalizar com Luís Jorge na liderança, os irmãos Lourenço sentiam a temperatura do motor do Jeep subir. A preparação tardia da Nissan Navara da «M150 Copy-link» não permitiu a estreia de Hernâni Pinheiro e César Carneiro, acusando problemas no eixo traseiro.Com o sol bem e a temperatura a subiam, aumentava a ansiedade da partida para as três horas de resistência do CNTrial4x4 com o «Disco Campos» na primeira linha da grelha de partida, tendo a seu lado o débil Suzuki do «Hortícolas». No arranque Paulo Campos e Vítor Rodrigues saíram bem na frente, enquanto Luís Jorge e Miguel Costa denotavam as esperadas dificuldades em defender a posição face à perda de potência por falta do turbo do Samurai, sendo passados pelo «Team Serrão» e «Preparações Badinho». No entanto, é já depois de algumas adversidades e trocas de posições na "cabeça" da corrida, poucos seriam aqueles que esperariam um desfecho com tanta incerteza. No final, a «Hortícolas Team», foi bafejada pela sorte, mas também, a soube procurar face à audácia que imperou ao longo das três horas - certamente as mais sofridas da temporada para o piloto de Torres Vedras. A liderança que partilhava com a «Pizaria Refugio» fazia prever uma luta a dois para ver quem se distanciaria na tabela classificativa. Quando o turbo do pequeno Suzuki Samurai cedeu durante o prólogo, não seria de prever que a vitória estaria ao seu alcance. Mas, tanto Luís Jorge como Miguel Costa nunca baixaram os braços, contando na sua retaguarda com uma equipa de mecânicos incansável que num autêntico "milagre" ressuscitou o motor do Suzuki: foi uma prova muito sofrida para mim e para toda a equipa. Se comparar o carro com um corpo humano, então poderia dizer que de manhã teve uma paragem cardíaca ao partir o turbo e acabou por trancar o motor – o coração parou de bater. O motor não pegava, o mecânico tirou válvulas, tirou a cabeça, o homem fez trinta por uma linha mas lá conseguiu, foi um autêntico milagre. O carro lá pegou mas ficou a trabalhar no seu estado normal, sem turbo e com apenas 40% da sua potência, ficando apenas com 80cv. Fiz a prova toda em 1ª e 2ª velocidade apenas (o normal seria 3ª/4ª), foram três horas a gerir caixa de velocidades, esforço físico, foi aproveitar tudo aquilo que o carro e nós podemos dar até ao limite...", salientou no final Luís Jorge, rodeado de toda a sua equipa em plena festa, no final das dez voltas e três horas de muito sofrimento e esperança: a sorte protege os audazes! Um triunfo sofrido e merecido, o primeiro da época para o campeão nacional, apenas consumado nos derradeiros minutos, por troca com a «Disco Campos». Com este resultado, Luís Jorge destaca-se na liderança do campeonato a uma prova do final, levando para Paredes (20 outubro) uma vantagem de 14 pontos sobre a «Pizzaria Refugio». A dupla do Jeep Proto foi uma entre outras equipas que sofreu de problemas mecânicos irremediáveis logo nas voltas iniciais, completando apenas 3 voltas, altura em que o veio da pinha de transmissão partiu, quedando-se pela oitava posição. Autores da "pole", Paulo Campos e Vítor Rodrigues assumiam-se como candidatos à vitória até bem perto do final, face á vantagem inicial acumulada, no entanto, a vitória que tanto anseiam voltou a ficar adiada. A sorte que protegeu uns, não foi partilhada com a «Disco Campos» que já muito perto do final ficou sem bateria, devido aos problemas com o alternador do Suzuki e sem pressão do turbo, terminando na segunda posição e na mesma volta do vencedor. Ainda assim, foi suficiente para ascender à terceira posição do campeonato, por troca com a «Tabô-Team 4x4» que não foi além da sexta posição. O pódio da jornada de Vimioso ficou preenchido pelo «Team Serrão», outra dupla que rondou a perfeição e por momentos liderou a prova que acabaria por perder quando a caixa de velocidades do Wrangler partiu a meia hora do fim. Um desalento para o piloto transmontano de Macedo de Cavaleiros - Alexandre Lemos que foi acompanhado por Gerardo Sampaio. Numa das melhores atuações da temporada, a «Padaria Flor de Ermesinde» igualou o quarto lugar de Valongo, apenas penalizada pelo cabo de guincho que dobrou e forçou a uma paragem mais prolongada. A «Nordhigiene» soube aproveitar da melhor forma os excessos de outros candidatos e assumiu a quinta posição, obtendo o melhor resultado do ano, na frente de Flávio Gomes e Pedro Nascimento. A dupla do Jeep Wrangler, estava na liderança a meio da prova quando a transmissão se partiu, acabando por abandonar perto do final com problemas no guincho. Numa mera participação para rodar e testar algumas alterações no Nissan Patrol com a vista a outras competições, Zé Rabal e Pedro Rodrigues estavam a cumprir os objetivos delineados, até à altura em que o motor do guincho deixou de funcional, fixando-se na sétima posição, na frente dos irmãos Lourenço, Ricardo e Paulo da «Pizaria Refugio». Com apenas uma volta cumprida, terminaram a «Aldeia da Roupa Branca» que abandonou bem cedo com o ápio do guincho partido; e a «Preparações Badinho» que depois de vencer a ultima jornada em Moimenta da Beira, passou por inúmeros contratempos em Vimioso, essencialmente com a manga deixo da Navara que partiu. A «Roger Auto» não completou qualquer volta, devido à bomba de óleo do motor que deixou de puxar; pior sorte teve a «M150-Copy Link» que não saiu das boxes. O CNTrial4x4 está de regresso ao Vale do Sousa a 20 de Outubro para a derradeira jornada do ano na cidade de Paredes.

Taça Rock Crawler
Duplo triunfo para a CarJaime/Troqouro
Pela segunda vez esta temporada, Domingos Parente e João Pinto vencem entre os participantes na Taça Rock Crawler, antecipando desta feita e, pelo segundo ano consecutivo, a conquista do troféu. A dupla do Rock Crawler até nem começou bem a jornada de Vimioso, ao conseguir apenas o terceiro tempo do prólogo e, logo nas primeiras voltas sentir problemas de direção, devido à cedência do apoio do motor que cedeu. Quem esteve mais próximo da dupla de Gondomar foram os espanhóis do «Extremo Zamora 4x4» ao terminar com o mesmo número de voltas (4) dos vencedores, numa pista muito maçadora para as máquinas denominadas de Rock Crawler. A «Paljet» que tinha assegurado a volta mais rápida no prólogo, ficou-se pelo derradeiro lugar do pódio acusando problemas com uma fuga de óleo da direção; ao passo que a «Entre Pontos» abandonou com a transmissão traseira partida.

Promoção garante competitividade
A exemplo das jornadas anteriores, as três classes reservadas à Promoção tem trazido muita emoção e competitividade ao CNTrial 4x4, com um lote de dezoito equipas. Tanto na Classe 1 como na 2, a incerteza quanto ao vencedor manteve-se até ao derradeiro minuto, com maior folego na categoria que alberga as viaturas com pneus mais reduzido (até 35"). A «Sucatas David Rocha» conseguiu o terceiro triunfo do ano, talvez o mais suado de todos, com o «Luís Soares Duarte WINES» a terminar na mesma volta e quedando-se pela segunda posição. O pódio, ficou completo com o «Produtor Vinhos Luís Fonseca» em mais um excelente desempenho com o UMM Cournil, face a viaturas melhor preparadas. Na estreia em competição, a «Martinho Gomes Reparações» não se deixou abalar no confronto "desigual" com o original UMM Cournil, chegando ao final com uma lista imensa de problemas que foram desde a quebra do bloqueio, passando pela barra de direção que dobrou e até um pneu rebentado! Na quinta posição com apenas uma volta contabilizada terminou a «FastLane»; enquanto os seus conterrâneos da «Sópedra 4x4/Kaiser», não terminaram devido à quebra do bloqueio. A «Galego e Martins» não se apresentou na formação da grelha para as duas horas de resistência devido aos problemas de motor do Suzuki Samurai durante o prólogo.
Na Classe 2, a «JMF» ganhou mais folego rumo ao título, respondendo com uma vitória às ameaças da «JiiPark» que tinha levado a melhor na ronda anterior em Moimenta. Frederico Fernandes e António Azevedo começaram por liderar mas nunca se sentiram à vontade na frente, até porque, Nelson Sousa e Tiago Santos jamais perderam de vista a traseira do Jeep Wrangler da dupla de Famalicão, que apenas perdia algum tempo nas dobragens aos mais lentos. Enquanto isso a dupla do «JiiPark» descuidou-se um pouco e, acordou tarde para a realidade..., não conseguindo mais do que a segunda posição a escassos 8s do vencedor, terminando ambos com 10 voltas. Um novo duelo é esperado em Paredes, com quatro pontos apenas a separar os principais candidatos ao título, com vantagem para a «JMF». Contudo, estes não se podem descuidar porque na terceira posição da competição e na prova, encontra-se o «LRT» que voltou a surpreender com um andamento forte e eficaz. Não fosse a quebra do bloqueio a meio da prova e o LRDefender daria garantias a Bruno teles e António Fonseca para ir além das oito voltas. Quarto lugar para um «Judas 4x4» muito desalentado, com os inúmeros problemas mecânicos causados pelos exigentes obstáculos naturais da pista dos Furões TT. O Nissan de Nuno Urbano e Fábio Lourenço terminou com um semi-eixo partido, e guincho mal tratado, superando na classificação a «Canelas Pneus» que não se deu bem com o cabo do guincho que não aguentou ser tão massacrado e rebentou por duas vezes. Depois de dois pódios em outras tantas provas disputadas, o «furões TT» não tiveram a sorte do "jogo" em pleno "estádio" caseiro. Sem Bruno Cameirão, foi estar a desempenhar o cargo de Diretor de Prova, as responsabilidades recaiam em Henrique Padrão, acompanhado por Paulo Cameirão, em levar o Land Rver Defender a uma classificação honrosa. No entanto, a mecânica traiu a dupla da casa e não permitiu sair das boxes.
Na Classe reservada aos Samurai a «Auto Diesel/Offroad Project» impôs-se à «Trava Embraia» que tinha vencido em Moimenta, destacando-se na liderança da competição, face ao quarto lugar do «Team Suzuki Fafe». Mesmo com uma volta de penalização, Pedro oliveira e Sandro Magina contabilizaram 12, as mesmas que os «seu conterrâneos Floriano Maia e Rui Magina, tendo em comum o facto de não acusarem problemas de levada gravidade ao longo das duas horas de prova. Álvaro Costa e Carlos Pires (Samurai 4x4 extreme), fixaram-se no derradeiro lugar do pódio e consolidaram igual posição na competição. Fora da corrida este o «Team Auto Socorro» que não completou qualquer volta.

 

 

 

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Desenvolvido por: multimobile